Artistas gravam CD para celebrar os 30 anos do Projeto Tamar

Posted on 26/11/2009

1



RECIFE – BRASIL – O Projeto Tamar anunciou o lançamento de um CD com músicas que abordam temas ligados à vida animal e à natureza para marcar os trinta anos das ações de proteção às tartarugas marinhas, a principal atividade da organização não-governamental, criada em 1980.

O CD 30 anos de Histórias para Cantar tem a participação de artistas como Lenine, Margareth Menezes, Wagner Tiso, Armandinho e Luiz Caldas, que interpretam as canções.

As bandas de rock Móveis Coloniais de Acaju e a Dazaranha também vão se unir ao grupo de artistas para produzir músicas e clips relacionados ao Tamar.

Shows também fazem parte da programação e serão realizados, predominantemente, em vilarejos do Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Sergipe, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina, onde estão instaladas as 23 bases do Projeto Tamar.

Ao longo das três décadas, o Projeto Tamar pôs em prática diversas ações ambientais e sociais, como a liberação de 10 milhões de filhotes de tartarugas marinhas no mar; monitoramento anual de aproximadamente 18 mil desovas em mais de mil quilômetros de praia, proibição da caça do animal para consumo de carne, mobilização de proteção das tartarugas pelos pescadores, cuidados com os ninhos e filhotes pelas comunidades costeiras e publicação de mais de 350 artigos científicos, registrando dados obtidos por estudos e pesquisas.

“Os filhotes soltos pelo Tamar na década de 80 já estão voltando hoje para desovar”,  diz o fundador e coordenador do projeto, Guy Marcovaldi.
“Nós estamos recebendo as tartarugas que são as nossas filhas, que sob os nossos cuidados ficaram adultas e estão voltando”, completa.
De acordo com cientistas, as tartarugas marinhas surgiram a mais de 180 milhões de anos e tiveram que passar por inúmeras adaptações para garantir a sobrevivência no planeta.
Hoje, há sete espécies no mundo e, dessas sete, cinco podem ser encontradas no Brasil- Cabeçuda, De Pente, Verde, Oliva, De couro- e todas elas possuem o status de vulnerabilidade ou de perigo crítico de extinção.
Isso significa que o Tamar ainda tem longa missão pela frente e depende do empenho de toda a sociedade brasileira, especialmente das comunidades costeiras, para prosseguir com esse programa de conservação marinha.
Mas as iniciativas individuais também são bastante necessárias e assim, o Tamar conta com ajuda de governantes, estagiários para formação e qualificação nas atividades desenvolvidas, compradores dos produtos da linha Tamar fabricados pelas comunidades auxiliares e visita de turistas em uma das 23 bases espalhadas pelo Brasil.
Oficialmente o Projeto completa três décadas no próximo ano, mas as comemorações têm início a partir deste mês com patrocínio da Petrobras, empresa que apóia o Tamar desde 1982.
Renata Nascentes
Anúncios