Vaticano implanta sistema de climatização alimentado por energia solar

Posted on 19/10/2009

0


A climatização a energia solar deve evitar a emissão de 80 toneladas de dióxido de carbono e diminuir o consumo de petróleo do Vaticano

A climatização a energia solar deve evitar a emissão de 80 toneladas de dióxido de carbono e diminuir o consumo de petróleo do Vaticano

O Vaticano acaba de instalar um sistema de aquecimento e de resfriamento de seus ambientes internos alimentado por energia solar.

Os 110 coletores solares foram montados no teto de três edifícios do Estado Católico e vão armazenar energia suficiente para resfriar os ambientes no verão e aquecê-los no inverno.

A climatização à energia solar deve evitar a emissão de 80 toneladas de dióxido de carbono e diminuir o consumo de petróleo.

O novo sistema complementa os esforços do Vaticano para se tornar o primeiro Estado do mundo a compensar totalmente suas emissões de gases do efeito estufa.

Em 2007, foram instalados 2.400 painéis solares nos 5 mil metros quadrados de teto do Salão Paulo VI

Em 2007, foram instalados 2.400 painéis solares nos 5 mil metros quadrados de teto do Salão Paulo VI

Em 2007, foram instalados 2.400 painéis solares nos 5 mil metros quadrados de teto do Salão Paulo VI, usado pelo Papa para os encontros semanais com os fiéis.

Na época, o Vaticano anunciou também a plantação de uma floresta na Hungria para compensar as emissões de gás carbônico dos cerca de mil habitantes.

A Igreja Católica planeja ainda construir na Vila de Santa Maria di Galeria, em Roma, a maior usina de energia solar da Europa.

Segundo a agência de notícias econômicas e financeiras Bloomberg, a unidade terá capacidade de gerar 100 megawatts e está orçada em 500 milhões de Euros, ou 1,3 bilhão de reais.

Veja matérias do Ecoseed (clique aqui), BBC Brasil (clique aqui) e G1 (cliquei aqui )

Anúncios