Gabinete ministerial das Ilhas Maldivas programa reunião subaquática em protesto contra o aquecimento global

Posted on 07/10/2009

0


Ministro da Defesa da República das Maldivas, Ameen Faisel, mergulha numa ilhota perto da capital Male. Foto de Scanpix/AFP

Ministro da Defesa da República das Maldivas, Ameen Faisel, mergulha numa ilhota perto da capital Male. Foto de Scanpix/AFP

Os ministros da República das Maldivas, país insular formado por um conjunto de atóis no Oceano Índico, encontraram uma forma no mínimo inusitada de chamar a atenção do resto do mundo para as ameaças provocadas pelo aquecimento global.

O gabinete ministerial programou uma reunião subaquática para o dia 17 de outubro, quando deve ratificar um documento pedindo às outras nações que se comprometam a cortar a emissão dos gases do efeito estufa antes da 15a Conferência da ONU sobre o Clima, a COP15, que será realizada de 07 a 18 de dezembro em Copenhague, na Dinamarca.

De acordo com a agência de notícias France Press (AFP), os ministros vão vestir terno, além de também equipamentos de mergulho, e descer a uma profundidade de seis metros, onde será realizada a reunião especial.

Eles vão se comunicar por meio de um quadro branco e de linguagem de sinais.

A reunião será comandada pelo presidente Mohamed Nasheed, mergulhador certificado, mas no próximo final de semana os ministros vão fazer um curso intensivo de mergulho para atender ao compromisso.

As Ilhas Maldivas estão localizadas a sudoeste do Sri Lanka e têm se posicionado de forma bastante ativa na batalha para frear as mudanças climáticas.

O país deve ser um dos mais prejudicados com a contínua elevação do nível do mar provocado pelo aquecimento global.

O Painel Intergovernamental das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (IPCC) prevê que o nível dos oceanos aumente entre 18 centímetros e 59 centímetros no decorrer deste século, o suficiente para tornar as Maldivas inabitáveis.

Anúncios
Posted in: Política