Temperatura da Terra poderá ficar 4 graus mais elevada já em 2060

Posted on 28/09/2009

0


Metade da população mundial poderá ficar sem água

Metade da população mundial poderá ficar sem água

A temperatura da Terra poderá registrar uma elevação de 4ºC em 2060 caso não haja uma diminuição significativa na emissão de gases poluentes na atmosfera.

O alerta está num estudo publicado hoje pelos cientistas do Departamento de Energia e Mudanças Climáticas da Agência de Meteorologia da Grã-Bretanha.

Ao prever um aumento de temperatura dessa ordem já na metade deste século, o documento desafia a crença de que um aquecimento global severo seria uma ameaça apenas para as futuras gerações.

“As pessoas que estão vivas hoje poderão ver um aumento de 4ºC”, disse Richard Betts, chefe do setor de Impactos Climáticos do Centro de Hadley, da Agência de Meteorologia.

“As pessoas vão ver isso como um cenário extremo, mas um cenário extremo é também um cenário plausível”, afirmou Betts, que deve anunciar o resultado do estudo durante uma conferência realizada hoje na Universidade de Oxford.

No sudeste e no oeste da África a elevação pode chegar a 10 graus centígrados

No sudeste e no oeste da África a elevação pode chegar a 10 graus centígrados

De acordo com os cientistas, um aumento médio de 4º C a partir de um nível de temperatura pré-industrial pode ameaçar o abastecimento de água de metade da população do planeta, extinguir metade das espécies de plantas e animais e inundar a região costeira de diversos países.

Os autores do estudo prevêem um impacto ainda maior no Ártico e no oeste e no sudeste da África, onde a temperatura pode sofrer uma elevação de até 10ºC.

As conclusões dos cientistas britânicos atualizam os resultados de um relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, que em 2007 previu um aquecimento global de 4ºC em 2100.

“O cenário foi subestimado porque éramos mais conservadores há alguns anos”, disse Betts.

“Mas do jeito que as coisas estão caminhando, um cenário mais severo parece mais plausível”, completou.

Com informações da Agência Reuters e The Guardian.

Anúncios