Helipontos nas coberturas paulistanas e jardins nos edifícios de Tóquio são destaques hoje na Folha de S. Paulo

Posted on 13/09/2009

0


Lei municipal que obriga a construção de áreas verdes em coberturas entrou em vigor no final do ano passado

Lei municipal que obriga a construção de áreas verdes em coberturas de Tóquio entrou em vigor no final do ano passado

Antônio Martins Neto

Duas reportagens publicadas na Folha de S. Paulo deste domingo chamaram a atenção do blog Mundo Possível.

A primeira, capa do caderno Cotidiano, mostra uma região da capital paulista que tem mais helipontos que paradas de ônibus.

A outra, no interior do mesmo caderno, destaca os jardins suspensos de Tóquio, construídos na cobertura dos edifícios por determinação do governo.

A matéria dos helipontos é assinada pelo repórter Alencar Izidoro.

A região da Rua Funchal, trecho de comércio e escritórios na Vila Olímpia, formado por 10 vias, reúne 25 helipontos e 24 paradas de transporte coletivo.

Segundo técnicos ouvidos pelo repórter, o cenário evidencia a falta de planejamento urbano com a expansão da área a partir de 1990.

A foto de Márcia Ribeiro, da Folha Imagem, mostra a concentração de helipontos em região de escritórios em São Paulo

A foto de Márcia Ribeiro, da Folha Imagem, mostra a concentração de helipontos em região de escritórios em São Paulo

Já a matéria de Tóquio é assinada pelo correspondente da Folha de S. Paulo na China, Raul Juste Lores, enviado especial ao Japão.

Ele informa que a determinação da prefeitura de Tóquio entrou em vigor no final do ano passado e obriga a criação de áreas verdes em 25% da cobertura de cada construção acima de 250 m2 ou 1.000 m2, a depender do bairro.

Dessa forma “hortas, gramados, jardins e até árvores estão ganhando os céus de Tóquio”, diz o texto do correspondente.

Os japoneses estão aproveitando a cobertura dos edifícios para cultivar hortas

Os japoneses estão aproveitando a cobertura dos edifícios para cultivar hortas

Anúncios
Posted in: Cidades