Universitários dos EUA participam de projetos sociais em países em desenvolvimento

Posted on 06/09/2009

1


O estudantes (da esquerda para direita) Yixin Liu, Brandon Loughery, Kate Edgar, Tom Lewkowitz e Mi Gyeong Koo, que participaram de projeto na República do Palau

O estudantes (da esquerda para direita) Yixin Liu, Brandon Loughery, Kate Edgar, Tom Lewkowitz e Mi Gyeong Koo, que participaram de projeto na República do Palau

Antônio Martins Neto

Pouca gente já deve ter ouvido falar da República do Palau, um país insular localizado no Oceano Pacífico, com pouco mais de 20 mil habitantes, composto por oito ilhas principais e mais 250 ilhotas e atóis.

Mas foi para lá que um grupo de cinco estudantes da Universidade Carnegie Mellon, do Estado norte-americano da Pensilvânia, viajou para passar as últimas férias de verão.

Os alunos não foram exatamente aproveitar as praias do arquipélago, mas estudá-las e mapeá-las, de forma que o Ministério da Saúde da República do Palau possa usar os dados coletados e traçar planos de emergência para casos de grandes desastres naturais.

Os jovens consultores fizeram parte do Technology Consulting in the Global Community, um programa de colaboração promovido pela universidade que envolve alunos, professores e organizações governamentais e não-governamentais de diversos países.

Durante dez semanas, eles desenvolvem, com a orientação dos professores, soluções em tecnologia da informação para órgãos do governo e organizações não-governamentais de países em desenvolvimento.

O programa teve início no verão de 2004, com um projeto junto ao Ministério da Educação das Ilhas Cook, localizadas na Polinésia e sob administração da Nova Zelândia.

Era uma piloto, que tinha como base os trabalhos de extensão dos alunos da Escola de Ciências da Computação da Carnegie Mellon nas comunidades vizinhas ao campus.

Em cinco anos de projeto, os alunos consultores escreveram um plano de negócios para que uma universidade do Chile forneça consultoria em TI nas comunidades vizinhas, ajudaram uma organização não-governamental que trabalha com crianças carentes no Sri Lanka a criar uma brochura e um website em inglês para levantar recursos para seus projetos e desenvolveram uma base de dados para que o Ministério do Interior das Ilhas Cook possa administrar as informações dos programas governamentais de bem-estar social.

No último verão, além da República do Palau, os estudantes participaram de projetos no Nauru, a menor república do mundo, com apenas 21 km² e pouco mais de treze mil habitantes; nas Filipinas e no Niue, uma ilha nação sob administração da Nova Zelândia.

Na República do Palau, os estudantes trabalharam com vários funcionários do Ministério da Saúde, de enfermeiros a administradores.

Eles coletaram dados, construíram mapas e introduziram os funcionários na tecnologia dos GPS´s.

“Ter adultos e profissionais do governo nos olhando como experts – e de fato respeitando e acreditando nas nossas habilidades,opiniões e recomendações – realmente nos faz apreciar a educação que recebemos e a oportunidade que nos foi dada”, diz Kate Edgar, estudante que viajou à República do Palau.

A universidade está agora selecionando alunos, porfessores e países para os projetos de 2010, cujas inscrições se encerram em dezembro de 2009.

Anúncios
Posted in: Educação